28.4.10

EMANUEL PEDE SOCORRO !!

DESABAFO
Entrevista do Fundador da Sociedade Emanuel, entidade que abriga 500 internos (drogatitos, doentes mentais, alcoólatras, na Grande P.Alegre) publicada na jornal da entidade na edição de Abril/ 2010.
Sou um ancião de 65 anos, destes 35 dedico à ação humanitária, por convicção e pela ordenança vocacional, pois hoje sou um pastor. De origem humilde nasci em Piratini, num casebre de chão batido e fogo de chão, sei muito bem o que é passar necessidade e o que é sofrer discriminação por causa da cor da pele. Infância sofrida, juventude pervertida até que um dia conheci uma nova forma de viver.Tornei-me útil para minha família, para a sociedade e para mim mesmo, e isto só foi possível através das verdades libertadoras do evangelho de Jesus Cristo. Desde então tenho me dedicado a ajudar ao próximo sem questionar sua cor, seu credo religioso, seu passado, seu nível de escolaridade ou nível social.Quando iniciei esta obra social chamada Sociedade Emanuel, não fui compreendido pelo meu pastor, pela minha igreja, fui até ridicularizado e menos- prezado por muitos irmãos de fé, mas mesmo diante de tamanha adversidade não abandonei meu objetivo. Com o passar dos anos muitos daqueles que zombaram desta obra, por ironia ou por desígnio divino, tiveram que procurar nossa assistência ao final de seus anos de vida. Digo isto não para me exaltar, mas para confirmar a necessidade da existência desta obra. Alguns milhares de pessoas passaram por aqui, vindo de muitos lugares do nosso estado e nunca eu deixei de receber quem quer que me procure.Muitos foram largados em nossa porta, outros eram indicados a nos procurarem, pois eles sabiam que seriam recebidos a qualquer hora do dia ou da noite. Não foram poucas as ocasiões em que não tinha nada para servir nas refeições e muitas foram às noites que dormíamos de barriga vazia, mas não desistia do meu objetivo. Foram muitas casas que serviram de abrigo aos internos, todas com muita precariedade e nenhum conforto, mas em nenhum momento me deixei abater ou desistir de meu objetivo.Muitas enfermidades se alojaram em meu corpo, sou safenado, hipertenso, já fiz duas cirurgias, fui dado como morto umas duas ou três vezes, mas estes fatos não me fizeram desistir do meu objetivo.Fui roubado materialmente, financeiramente e do privilégio de ver meus filhos ter uma infância e adolescência normais, bem como meus netos/netas não os vi crescerem e se desenvolverem, mas mesmo assim nunca pensei em desistir do meu objetivo. Nunca tirei férias e peço desculpas a minha esposa por não levá-la a algum tipo de passeio sem que esta obra estivesse envolvida, mas isto não era fator para que eu me desviasse do meu objetivo.Muitos vieram “me ajudar” e quase me destruíram o pouco que tinha levavam e nós ficávamos na estaca zero de novo, mas não dava o braço a torcer ou desistir do meu objetivo.Ganhei muitos prêmios, menções honrosas, reconhecimento e admiração de pessoas e entidades públicas e privadas, mas isto não pode me desvirtuar do meu objetivo.Hoje tenho muitos parceiros, voluntários, amigos, contribuintes, doadores, pensei ter chegado bem próximo do meu objetivo final, mas quando fui confrontado de que tudo que fiz nestes mais de 30 anos foram feitos de um modo totalmente equivocado, contrariando leis e normas legais, sendo tratado como um delinqüente, confesso que estou muito abatido ao ponto de não mais ter forças para prosseguir.Estava convicto que fazer o bem, isto é, tirar um ser humano do submundo da miséria, das drogas, da prostituição, da delinqüência não exigiria que eu tivesse que transportá-lo do inferno cloacal das ruas e levá-los direto para o paraíso da Ilha da Fantasia.Confesso que vim, vi e fiz o que achei que seria certo fazer, se tiver que pagar pelos meus erros pagarei, mas pelo amor de Deus, façam pelos menos melhor do que eu fiz, pois é uma questão humanitária, muito mais que partidária, social ou ideológica, façam. Não se contentem em destruir este trabalho, em calar a meu grito por socorro aos desvalidos, mas façam melhor do que eu. Confesso que estou muito abatido e desiludido quanto ao futuro.Peço a todos que conhecem a Emanuel e a mim, preciso muito da vossa solidariedade nesta hora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário