30.7.10

O Problema das Drogas.

 Nós temos assistido diariamente pela mídia o aumento do consumo das drogas em todas as cidades do nosso Brasil. Já é comum ouvirmos dizer que tal lugar virou uma “cracolândia” devido à invasão de espaço para “fumar” e “vender” a pedra do crack.E como tem atingindo pessoas do mais variados níveis sociais!
São famílias destruídas, lares despedaçados, carreiras que foram inevitavelmente interrompidas, vidas estagnadas.Alguns já a apelidaram de “pedra-do-capeta”.
Os governos investem milhões na conscientização da população sobre o problema, empresas se envolvem em campanhas publicitárias, mas parece que nada pode frear este trem desgovernado.
Todos sabem dos malefícios sobre o organismo e que a dependência levará o viciado a morte em pouco tempo. A pergunta inquietante que surge é:o que faz com que as pessoas optem pelas drogas, sabendo que se autodestruirão?
Porque esta renúncia á vida?
 Pelo liberalismo de hoje, muitos optam erroneamente pelo “tudo não passa de uma questão de liberdade pessoal de escolha”. Pesquisas revelam que há causas profundas de ordem psíquicas e afetivas que influenciam as pessoas a entrar no mundo das drogas. A grande maioria busca nas drogas uma forma de se punir ou fugir de algum problema que tem medo de enfrentar. Há casos em que a pessoa é levada ás drogas pela curiosidade ou como forma de desafiar o perigo, tentando mostrar que é forte. Mas isto também revela algum tipo de insegurança e falta de afeto ou atenção. O que mais assusta nesta questão das drogas é que ela atinge todas as faixas etárias e camadas sociais. Ainda o que mais surpreende e preocupa é que há uma grande indiferença frente ao problema.O que realmente esta faltando mesmo é amor ao próximo. Há um vazio nas pessoas e falta um sentido para a vida. A crescente busca pelo materialismo e consumismo tornou as pessoas frias e insensíveis uma com as outras, inclusive dentro do lar e da família. Isso tem sido a causa para as pessoas, incluindo crianças e adolescentes, buscarem nas drogas um meio de fuga e de autopunição. Leis mais rigorosas contra traficantes e uma política de saúde mais favorável ao tratamento do drogado são medidas complementares importantes, mas não ajudarão na solução do problema. Porque são medidas que atuarão sobre as conseqüências, não na raiz.Estudiosos tentam apontar soluções, uns dizem que o culpado é o usuário, outros o fornecedor, outros ainda acham que o problema vem de fora (Bolívia, Colômbia), mas não chegam à fonte, a origem deste grande mal. A raiz destes males não está no baixo nível educacional, não esta na vida social desregrada, não esta na falta ou excesso de dinheiro; o problema todo é de origem espiritual. É necessária uma ação firme e decidida sobre as causas, de ordem comportamental e afetiva, que atinjam a pessoa e a sociedade. É preciso que haja uma mudança de mentalidade. A verdadeira mudança é aquela que começa no coração, de dentro para fora, e isto só é possível através da graça divina. Esta graça divina modifica o caráter, governa os impulsos, as paixões, a inimizade e torna mais nobre a afeição. Faz com que a vida se torne mais amena e espalha ao redor uma influencia de bondade. Isto só é possível através de uma libertação.
Libertação é ato de tornar livre ou por alguém em liberdade. O homem só se torna livre após a descoberta da verdade que lhe dá sentido a sua vida. Jesus Cristo é a verdade que liberta o homem dos vícios, da opressão, do ódio, do ciúme e da inveja. O grande problema do homem consiste na busca errada da solução de seus problemas. É preciso mudar. Cristo é a solução de Deus para o problema do homem. Só Ele torna o homem livre da tristeza e da angustia.

22.7.10

FÉ PARA VIVER !


A falta de Deus na vida dos homens tem trazido inevitável desequilíbrio tanto a nível individual como coletivo em nossa sociedade.
Deus plantou dentro de cada pessoa a semente da fé, alguém pode chamar esta semente de positivismo ou poder da mente.
Mas cada vez mais a humanidade está sofrendo derrotas inexplicáveis, desapontamentos frustrantes, por não dar crédito aos ensinos do Mestre Jesus.
Ensinos estes que convergem ao chamamento de despertar o espírito humano às positivas realidades de Deus.
Em meio à ansiedade e crise moral dos dias de Jesus, seus discípulos ouviram dele a seguinte exortação: "Tendes fé em Deus”.
Pois Ele sabia e previa as conseqüências catastróficas de um povo viver sem Fé e sem Deus.
A Fé é o salva-vidas para o naufrago.
A Fé é a bussola que orienta o viajante.
A Fé é a luz que brilha em meio as trevas das dúvidas e incertezas.
A Fé é a força do fraco.
A Fé é a companheira do solitário.
A Fé é o braço do mutilado.
A Fé é a paz do aflito e a salvação do perdido.
A Fé é a alavanca que Deus põe na mão do homem para remover a montanha (das dificuldades, dos problemas, das duvidas....).
Quem não tem Fé desagrada a Deus, porque põe em dúvida a fidelidade e o poder do Senhor.
A todos os fracos e indecisos, medrosos e inconstantes, doentes e solitários, Jesus, o médico incomparável, indica o remédio eficaz:
“Tende Fé em Deus”.

12.7.10

O SAL DA TERRA !

O SAL DA TERRA!
“Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe
o sabor?”
Na época de Jesus, assim como ainda hoje, o sal era muito utilizado
para conservar os alimentos. Jesus nos ordenou que pregássemos o Evangelho
a todas as criaturas, mas também deixou claro que deveríamos ser
o “sal da terra”, e o sal possui propriedades anti-degenerativas.
A comparação estabelecida entre o sal e a igreja implica em ser ela
elemento responsável por deter o “apodrecimento” do meio onde está inserida,
(a sociedade / a comunidade).
Se perder esta propriedade, para quem ficará esta tarefa? A igreja cristã está
no mundo para ser “o sal” e não para ser uma ditadora de regras. A ordem de
Jesus foi a de sermos “o sal da terra”, o elemento que detém o avanço
da degeneração da sociedade. Ele não nos incitou a nos revoltarmos contra
aquilo que diretamente nos atinge, tomando assim a justiça nas próprias mãos e somente em nosso favor. O sal, além, de anti-degenerativo, possui a característica de transferir o seu sabor para o alimento, alterando-o completamente. Detalhe importante: o sal não aparece na comida, ela tem a mesma aparência com ou sem ele, nós só percebemos a sua ausência quando provamos o alimento e sentimos a sua falta, por outro lado ele nós é visível quando não está sendo utilizado. A real ação cristã no mundo deve ser de igual forma imperceptível e revolucionária, ao invés de tão visível e inoperante diante da situação social caótica como vivemos hoje.
Pois uma das coisas completamente claras nas palavras de Jesus é que Ele jamais pretendeu criar uma igreja como uma organização poderosa no sentido comum da palavra.Sua intenção era que esta igreja fosse disseminada na sociedade sem alarde como o sal, fazendo com que suas propriedades antidegenerativas, d’Ele adquiridas, impedissem a deterioração desta sociedade, revertendo o processo e preparando a Vinda do Reino dos Céus. Este é o grande poder ao qual de certa forma a igreja renunciou.

1.7.10

Brasil, a Pátria de chuteiras.

A força imensurável da mídia faz com que este gigante ainda adormecido em berço esplêndido, fique
ainda mais anestesiado diante das telas nestes dias de Copa do Mundo.
Tudo e todos se rendem a “jabulani”, serviços e expedientes são adaptados, prioridades são adiadas, compromissos cancelados, tudo isto para que ninguém fique sem assistir aos jogos.
Tamanha devoção faz com que haja uma pontinha de ciúmes até da mais ferrenha seita religiosa.
Ora o espetáculo não pode parar, aliás, ele não pára, o pão e o circo está sendo patrocinado pelas pedaladas e gols do excrete canarinho.
A copa do turismo e do merchandise está sendo um sucesso, mas quem realmente tirará real proveito dela?
Duvido que o sofrido povo africano seja o maior beneficiário.
Pois a necessidade e o necessitado continuam perdendo de goleada no jogo da vida. Se não vejamos:
1) Faltas não estão sendo marcadas (desemprego, qualificação profissional);
2) laterais e escanteios estão sendo invertidos (desperdício do dinheiro público, desvio de verbas);
3) impedimentos não marcados (insegurança pública, privada e pessoal) e até;
4) gols com a mão é validado (enriquecimento ilícito).
 Agora o que nos enche de duvidas não é o sucesso ou fracasso de nosssa seleção, mas, se daqui há quatro anos, em 2014. teremos a dignidade e apresentar ao mundo um espetáculo virtual ou maquiado de nossas mazelas domésticas.  E quanto aos investimentos quem se locupletará ( hummmm), esta será a maior incógnita com certeza.
Que Deus nos guarde pelo seu amor.