12.8.11

Nossa Crise Poilitica é Ética ou Moral ?


Independente qual seja o caráter desta crise, ( escândalo atrás de escândalo), o que nós todos já sabemos é, que ela ( a corrupção) tem raízes bem profundas no seio da nação brasileira e no bolso de todo trabalhador honesto deste País.
Tudo começou quando acreditaram que o Estado e os Políticos deveriam funcionar como instrumentos de produzir Justiça Social neste País.
Esta postura permitiu ainda mais o desenvolvimento do paternalismo estatal e do clientelismo elaborados pelos políticos.
Hoje fica muito claro como muitos políticos, utilizando-se dos próprios recursos do Estado, mantêm-se em seus cargos vitaliciamente, juntamente com sua parentela, cabos eleitorais, amigos e outros que se beneficiam de maneira questionável.
O pior de tudo que atualmente estabeleceu-se a crença de que o Estado deve resolver os problemas de todos. Frases como “Transporte, direito do povo, dever do Estado”, Saúde, direito do povo, dever do Estado” e “Habitação, direito do povo, dever do Estado”, já estão arraigadas em nossas mentes que de tanto serem repetidas, a maioria já passa a acreditar nessas idéias como verdades absolutas e imutáveis.
As pessoas não se atêm ao fato elementar de que o Estado não cria riquezas; ele simplesmente retira riquezas da sociedade produtiva e administra-as para o possível beneficio publico.
E aqui está o gargalo desta crise histórica sem fim.
Os protagonistas que não são poucos se auto-intitulam promotores da justiça social dos Estados que representam, ou melhor, dizendo das Capitanias Hereditárias que exploram.
Este é o caso típico em que o Estado e os que nele se locupletam (os políticos e sua horda) atravancam o progresso e promovem esta estagnação que como diz o hino nos deixa eternamente deitados no berço esplêndido do subdesenvolvimento.
Legislando em causa própria, saqueado os bens públicos, explorando as riquezas produzidas pelos trabalhadores,.......... pobre Brasil.
Mas a mãe destes males realmente se chama Impunidade que é irmã da Vergonha na Cara que há muito não se vê por aqui.
Lembro-me fortemente de dois textos:
um no Antigo Testamento Malaquias 3:18 “se verá a diferença entre quem teme a Deus e quem Não teme;
e outro no Novo Testamento em Apocalipse 22:11 “Quem é injusto continue praticando a injustiça”...ou quem é sujo continue fazendo sujeira....
A velha Bíblia, a milenar Palavra de Deus continua Viva e atualíssima nada de novo debaixo do Sol.
Eles estão em crise mas nós estamos em Cristo !!

1.8.11

As Duas Portas

Existe agora entre nós, um cristianismo, supostamente evangélico e fundamental, dedicado a tronar-se bastante agradável e popular, mesmo para os frequentadores de igreja indiferentes e com corações endurecidos.
Fiel a sua missão, esse cristianismo desenvolveu uma serie de doutrinas que são consistentes apenas em seu efeito comum de remover os incômodos e as exigências do verdadeiro cristianismo.
Essas novas doutrinas são muito populares e amplamente aceitas.
E por que não seriam ? 
Elas favorecem a aversão natural de que o homem demonstra para com o negar a si mesmo e, em especial, satisfazem o moderno culto do prazer e do egocentrismo.
Somente essas tendencias arraigadas podem explicar a ilusão de que esse tipo de cristianismo é autentico.
O próprio Senhor Jesus nos advertiu sobre isso, ao mostrar que o verdadeiro cristianismo seria difícil e impopular ("estreita é a porta, e apertado é o caminho que conduz para vida eterna, e são poucos os que entram por ela" - Mt 7.14).
Enquanto sua imitação seria fácil, popular e condenatória ("larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela" - Mt 7.13).
Seu cristianismo é genuíno ?
Ou é, fácil, popular e condenatório?