2.11.11

Encontros, Campanhas, Retiros,Cruzadas,Congressos - Preciso de um SPA Gospel

Hoje o mundo conhece a igreja por aquilo que ela diz que é, talvez até porque realmente pensa ser o que diz ser. A verdade é que infelizmente o seu testemunho não avaliza a sua autodefinição.
Não querem ser luz para o mundo, querem brilhar para o mundo como estrelas.
Sendo assim o perdido continua sem rumo, o mundo continua imundo, enquanto os cristãos engordam clamando dia após dia por mais e mais unção, seguros e confortáveis no calor das suas acolhedoras incubadoras entre quatro paredes.
Na bíblia a gordura em algumas passagens faz referência à unção, logo, deve ser por isso que os cristãos andam tão indispostos, estão obesos demais, é tanta unção que nem sequer sabem para que serve.
Que tal um spa no deserto? 
Você obviamente, nestes tempos onde a estética e a beleza são imperativas, já ouviu falar em spa, mas você sabe o seu significado? 
Spa é uma sigla formada das palavras originadas do latim sano per acqua que significa cura pela água.
Você sabia que Moisés conduziu o povo hebreu para um spa quando o libertou da escravidão do faraó? É verdade, eles foram para o deserto, um lugar tranqüilo, ideal para aliviar o stress e relaxar os músculos tão surrados por seus antigos opressores. A história segue e em um dado momento o mar se abre e o povo passa pelas águas deixando para trás os males do Egito. De certa forma a água foi literalmente usada para a cura da escravidão daquele povo, pois os seus opressores foram destruídos por ela.
O Egito ficou para trás, o mundo pecaminoso foi deixado. 
Receio que a igreja também precise passar por estas águas que curam, o spa de Moisés, deixando o mundo e o pecado definitivamente para trás.
A igreja têm buscado a promessa, mas desde que não tenha que passar pelo deserto.
Isto é um grande erro! É no deserto que ocorre a purificação que nos leva à santidade.
É no deserto que conhecemos o nosso próprio coração. 
É no deserto que a igreja definitivamente aprende a depender de Deus. 
É no deserto que Deus deseja revelar-se ao seu povo para que O conheçam assim como Moisés O conhecia.
O cristão moderno deseja se encontrar com Deus desde que não seja no deserto e para isso insiste neste negócio de ficar marcando encontros com Deus como quem separa um horário na sua agenda de compromissos para viver momentos em um ambiente que não faz parte do seu mundo diário. 
Se você já percebeu que um encontro com Ele é tremendo, então passe a tremer diariamente diante dEle, vinte e quatro horas por dia. 
Estar com Ele não é uma injeção de unção de três dias com efeito alucinógeno de uma semana. Primeiro dia pós-encontro: é tremendo, é tremendo. 
Segundo dia: é tremendo. 
Terceiro dia: foi legal. 
Até que se esquece realmente de como foi e espera ansioso pela agenda do próximo encontro, para uma próxima dose. 
Estas estratégias humanas deixam os cristãos dependentes, não de Deus, mas de programas, encontros e campanhas que inventam na expectativa de suprir a falta do crescimento natural, espontâneo e diário na presença de Deus. 
Isso é tão pernicioso que as pessoas passam a ser dependentes de tais movimentos. 
Deixe de realizá-los e você verá dezenas de cadeiras vazias aos domingos.
Devemos desenvolver uma vida diária com Ele, usufruir da Sua doce presença a cada momento.
Isso é vital, isso é intimidade, isso é a igreja!
Um corpo desligado da cabeça não passa de um cadáver mutilado.
Nossa comunhão diária com Deus deve ser tão necessária quanto o ar que respiramos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário